CBO acata solicitação da ANAGEA e retira parte do texto que remetia os GAs ao CREA

Postado na categoria Blogno dia 8 de fevereiro de 2010 , por João | 27 Comentários


A ANAGEA encaminhou solicitação ao departamento de Classificação Brasileira de Ocupações (CBO)  para que este departamento revisasse parte do texto “características do trabalho” onde remetia tal ocupação ao CREA.

Nossa argumentação e embasamento foram o bastante para a pronta revisão do “erro” cometido pelos consultores do MTE . Temos, portanto, um texto dentro dos princípios do PL 5825/2009.

Qualquer entidade pública ou privada pode contratar um Tecnólogo em Gestão Ambiental, seja  pelo regime CLT ou Estatutário ou contratar uma assessoria na área ambiental controlada por um tecnólogo em gestão ambiental.

Estamos, aos poucos, quebrando os mecanismos de exclusão e inserindo o profissional em Gestão Ambiental onde é seu lugar de direito.

Viva a mais essa vitória dos Gestores Ambientais!

CBO 2140-10 “Tecnólogo em Gestão Ambiental”

Léo Urbini

Presidente ANAGEA

> Novo texto da CBO: “Formação e experiência: Para o exercício profissional requer-se formação em engenharia ambiental ou cursos de tecnologia na área ambiental e registro no respectivo conselho de classe, quando exigido. O exercício pleno da atividade ocorre, em média, após um a dois anos de experiência.”

27 Comentários para "CBO acata solicitação da ANAGEA e retira parte do texto que remetia os GAs ao CREA"

  1. no dia 5 de março de 2010 simone escreveu:

    aqui no nosso estado conseguimos nosso regitro de profissional pelo conselho de administração(CRA)
    uma grande vitoria.mais ninguem aqui contrata gestores ambientais capacitados,nem graduados na area ambiental,na maioria dos casos.
    grata!

  2. no dia 19 de maio de 2010 Renato Cerqueira escreveu:

    Fico feliz por mais essa conquista dessa associação que tanto luta pela categoria, Parabéns a todos pelo esforço e pela conquista!!! Grande abraço…
    Renato Cerqueira – IFMT/ Cuiabá-MT

  3. no dia 17 de setembro de 2010 Cátia Rodrigues escreveu:

    Pois é,infelizmente,me formei em janeiro deste ano e tenho sofrido os preconceitos aqui em minha região.
    Se não tiver uma peixada boa,nada de emprego para atuar na área,sempre usam a desculpa de que não tenho experiência.Mas como ter experiência sem oportunidade?
    É triste,passar dois anos na faculdade,enfrentando estrada diariamente para conseguir um diploma superior e ser tratada como uma pessoa sem qualificação.O preconceito ronda nós tecnólogos e vejo que isso acontece principalmente na parte ambiental.
    Até quando teremos que ser obrigados a ser tratados desta maneira?É repugnante!

  4. no dia 29 de setembro de 2010 Léo Urbini escreveu:

    Olá Cátia,concordo com você
    Mas devemos direcionar essa indignação de forma positiva, devemos demonstrar que podemos atuar com gestores ambientais, que conhecemos muito sobre o assunto, que estamos participando das discussões sobr o tema e dos cursos complementares. Uma dica é focar um determinado tema e se especializar nele, ser muito boa naquilo que faz.
    Por ex. Saiba tudo sobre resíduos, promova coleta seletiva em seu bairro ou rua, ou mesmo em sua casa, se envolva no assunto e torne-se uma especialista no assunto, ou eleja outro tema qualquer e se jogue de cabeça na área, mesmo que seja inicialmente como voluntária, as coisas vão acontecer.
    Participe dos debates acerca da profissão, se envolva efetivamente como gestora
    Cordialmente
    Léo Urbini

  5. no dia 29 de setembro de 2010 Léo Urbini escreveu:

    Oi Lua, em breve faremos um resumo de todas as atribuições dos GAs, mas lhe adianto que as atribuições citadas por você são , TAMBÉM, dos GAs. OK?
    Léo Urbini

  6. no dia 7 de outubro de 2010 mauro bazzotte escreveu:

    Ola, na região do vale de itajai,sc não temos permição de se filiar no crea, apenas no cra mas tudo o que se faz pede o crea para nós. Ai fica imposivel faser trabalhos na aréa ambiental.

  7. no dia 29 de novembro de 2010 Pedro S. Trindade escreveu:

    Olá Leo Urbine, prazer em te conhecer virtualmente é verdade, mas só de saber que temos um grande parceiro como vc nos auxiliando nesta grande área abiental já nos torna forte.Vou me formar se Deus quiser na área de tecnologia em gestão ambiental no próximo ano, pretendendo consseguir atuar na área, esperamos que as portas estejam abertas para todos nós.Abraços a todos é até a proxima.

  8. no dia 25 de fevereiro de 2011 Frederico escreveu:

    Olá caros colegas.
    Terminei o curso de Gestão Ambiental no ano passado, mas uma coisa nos preocupa aqui em Goiás, o CREA, pelo que percebi em alguns comentários acima existe essa preocupação em outros estados. Como agir, já que a maioria dos projetos e estudos requisita um registro profissional mais abragente?
    Obrigado pela oportunidade, e aguardo contato.

  9. no dia 9 de junho de 2011 wagner escreveu:

    ola gente estou muito felez por mais essa vitoria mais nao esqueça q ganhamos batalha mais nao guerra olha acho que td esta dificil para gestores eu nao formado ainda me formo ano que vem pouco ja fiquei sabendo e pesquisei nois ja ganhou muito agora so reconhecimento que queremos fui numa palestra crea no meu estado eles ne se quer gosta de comenta sobre os academincos gestao ambiental ele comenta sobre agronomos e engenheiros mais nois nao maisoria que estava la era acdemicos isto pro va que somos muito mais unidos do que eles entao essa guerra esta perta de ser vecida so questao tempo luta pq tbm tem gente q espera pra ser reconhecida nao toma frente corre atras olha aqui graça deus pessoal do orgao publico da muita força pra nois assim ganhamos esperiencia td vale depois conta final gente so isso queria deixa pra vc que ta perto de sermos reconhecido agradeço desde de ja anagea que ve lutando pra isso ser pussivel abrço a todos vamos luta wagner ji-parana rondonia

  10. no dia 29 de junho de 2011 Fabio Senatore escreveu:

    Olá sou Tecnólogo em gestão ambiental em Cuiabá – MT, acho que a maioria dos tecnologos estão passando pelas mesmas dificuldades minhas, apesar de estara fazendo pos graduação em Pericia, Auditoria, Gestão e Educação Ambiental. O CRA-MT diz que não tem competencia para nos amparar quanto a elaboração de projetos eles dizem que é da competencia do CREA, e alem disso nenhum orgão ambiental aqui aceita nossos projetos. O que fazer, será que temos competencia para tal, ou seremos apenas meros orelhas secas com diploma. Obrigado

  11. no dia 5 de agosto de 2011 Luis Cláudio Rioga escreveu:

    Olá Léo, bom dia!

    Estou interessado em fazer o curso de Tecnólogo em Gestão Ambiental e gostaria de saber se após a conclusão deste curso é possível se fazer a Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho.
    Desde já agradeço pela sua atenção!

  12. no dia 6 de agosto de 2011 Léo Urbini escreveu:

    Claudio,
    Normalmente, um curso de pós é livre, mas no caso deste apresentado por você há informes de que as instituições que oferecem exigem, a priori,inscrição no CREA, ou seja, como titular de um diploma de tecnólogo em gestão ambiental você não pode cursar.
    Exceto em casos particularissímos de alguns cursos que foram aceitos pelo CREA nesta modalidade, ainda assim, recomento informar-se na instituição citada.
    Gestão ambiental e segurança do trabalho são áreas distintas. Caso queira trabalhar com segurança do trabalho recomendo fazer um curso na área, é um excelente curso e com demanda profissional crescente. Informe-se

  13. no dia 16 de agosto de 2011 Eçuélio escreveu:

    Pelo qu já vimo e lemos, Precisamos esquecer o CREA com urgencia rsrrssr, porém precisamos tambem cobrar condiçoes ao CRAs, para emitira as famigeradas ARTs, exigida pelos orgão ambientais.
    Att
    Eçuelio

  14. no dia 10 de outubro de 2011 JOEL ARAUJO SIRQUEIRA escreveu:

    Caros, bom dia!!!
    a realidade de fato é que precisamos do CREA, vamos parar de tapar o sol com a peneira com esse negócio de CRA e CRQ quando na verdade nenhum dos dois conselhos nos dá respaldo para atuarmos “profissionalmente”. A iniciativa principal que devermos tomar (principalmente com a frente da ANAGEA) é exigir a solução do CREAs dos respectivos estados a disponibilidade de registros para “todos” os tecnólogos em gestão ambiental, visto que muitos já conseguiram seus registros, assim por que uns são favorecidos e outros não?
    possuo registro no CREA-MG como Técnico em Agropecuária e sei o quanto o CREA discrimina profissionais que não sejam principalmente engenheiros civis os quais tem uma reserva de mercado injusta através de resoluções e normas, se não procurarmos com urgência a justiça seremos cada vez mais retaliados e ludibriados.

  15. no dia 12 de outubro de 2011 Léo Urbini escreveu:

    Caro colega Joel,
    Lamento informar, mas o sistema Confea-CREA está em acelerado processo de desmoronamento. Os Engenheiros civis já articulam a criação da “Ordem dos Engenheiros do Brasil”. O pontapé inicial foi a apresentação do PL708/2007, arquivado por ser inconsistente juridicamente, mas já prometem a apresentação de outro com modificações para a realização do intento.
    A resolução 1010 de 2005 foi cassada pelo Juiz Evandro Reimão dos Reis da 10ª vara do tribunal federal regional sob a alegação de que legislar sobre atribuições não é competencia do CREA e sim do MEC
    Também foi anulada a decisão plenaria 1103 de 2006.
    Caro, está na hora de enxergarmos a realidade, temos que trabalhar pelo nosso conselho, e não ficar “pregando” em favor de sua santidade o CREA.

  16. no dia 13 de outubro de 2011 JOEL ARAUJO SIRQUEIRA escreveu:

    Caro Léo Urbini,
    Entendo perfeitamente sua posição, e alias compartilho da mesma, luto a bastante tempo contra essa vergonhosa e corporativista atuação do CREA, porém o que estou querendo deixar bem claro aqui é que em termos de presente, do hoje, não podemos, ainda, infelizmente atuar sem esse registro, nenhuma empresa ou órgão contrata nessas condições, mais vejo é que muitas faculdades e organizações de classe preferem optar pelo mais fácil que é aconselhar registro em conselhos que não atendem a profissão nem o mercado de trabalho e ver Gestores Ambientais como eu muitos colegas lutando por um espaço sem armas condizentes com a realidade, enquanto prospectamos um futuro melhor a longo prazo e ficamos a margem do mercado profissional.

  17. no dia 14 de outubro de 2011 Léo Urbini escreveu:

    Joel,
    Sua preocupação é a de todos os gestores ambientais. O que é preciso que seja entendido, é que nem CREA nem CRA nem CRQ podem deliberar sobre as atribuições dos GAs.Deliberar sobre esse assunto é competência do congresso e do MEC Não conseguiremos atuar com todas as atribuições enquanto as mesmas não forem regulamentadas e, quem briga pelo almoço aproveita a luta também pelo jantar.
    Regulamentação e conselho já!
    Temos que ter a classe unida pelos direitos integrais dos GAs. Enquanto uma parcela concordar em abaixar a cabeça para o CREA, teremos mais trabalho, mas continuaremos a lutar pelos nossos direitos na integralidade.
    saudações

  18. no dia 3 de novembro de 2011 Alexandre Cesar dos Santos Jr escreveu:

    Boa noite a todos.

    Não sei se vai servir de consolo, mas minha esposa e Engenheira Ambiental e vejo de perto a luta pra adquirir experiência, como ter experiência sem oportunidade e lá se foi dois anos. Existem certas dificuldades com o conselho CREA, salários baixos e entrar no mercado então não e mole. Pra sua sorte especializou-se em Engenharia de Segurança do Trabalho que foi muito bom e ela tá colhendo bons frutos graças a deus.
    Resumindo, fico preocupado estou formando em julho de 2012, Tecnólogo em Gestão Ambiental é já deu pra perceber que tá brabo trabalhar na área e sem o registro então, a saída e fazer uns projetos e minha esposa assinar ate tudo se acertar, tenho convicção que quando o assunto e meio ambiente os profissionais em geral não estão sendo valorizados. Se não tiver uma união geral de classe correremos o risco de degradarmos junto com a natureza.
    OBS! Gostaria de deixar aqui registrado os meus agradecimentos e dizer que se temos ou teremos vitorias com certeza tem a participação da ANAGEA parabéns por defender nossos interesses e obrigado.

    Araguaína- Tocantins

  19. no dia 20 de dezembro de 2011 Luiz Eduardo Braga escreveu:

    Caro Léo Urbini,
    Estou lhe escrevendo de Manaus(Amazonas), estamos muito preocupado com a situação ambiental do município, academicos de gestão ambiental,tem encontrado dificuldades de escontrar estágios.Gostariamos de uma força da ANAGEA, para criação do estatuto da AAMAGEA – Associação Amazonense de Gestores Ambientais, para lutar contra este tipo de preconceitos ao tecnologo. A Camara do CREA-AM//RR., se reunirá em Janeiro 2012, a ANAGEA – deveria se manisfestar a respeito, ou poderiamos representar nesta reunião.
    Aguardo sua manisfestação sobre o assunto.

    Luiz Eduardo Braga.

  20. no dia 22 de dezembro de 2011 Léo Urbini escreveu:

    Olá Luiz Eduardo,
    A inserção do profissional de gestão ambiental tem sido a preocupação principal da ANAGEA desde sua fundação.
    Conseguimos avanços expressivos ao longo dos quatro anos de atuação, e a situação atual é significativamente melhor do que a de antes da associação. Ainda temos muito a avançar, mas lhe garanto que as medidas necessárias para isso estão sendo tomadas. Em 2009, apresentamos um projeto de lei na camara federal exigindo que todas empresas potencialmente poluidoras contratem um GA, ainda tramitando. Apresentamos, em 2011, o projeto de regulamentação da profissão. Sem contar projetos municipais que beneficiem os GAs, que apresentamos ou apoiamos
    A ANAGEA tem todo o interesse em apoiar a criação de regionais ou outras associações de GAs pelo Brasil, no entanto, nosso diálogo com o CREA no sentido de credenciar os gestores ambientais está absolutamente encerrado pelo
    simple motivo de se tratar de atividades concorrentes e não complementar ou semelhante.
    A ANAGEA atua na defesa dos direitos integrais dos GAs, e não pela metade.
    A constituição de um grupo que trate das questões dos GAs terá todo o apoio, desde que seja para trabalhar dentro da linha de atuação da ANAGEA, e que indique a construção de arcabouço legal que nos remeta a liberdade e independência profissional. Nos colocamos à disposição
    Cordialmente,
    Léo Urbini

  21. no dia 23 de dezembro de 2011 Daniel escreveu:

    Olá cara Cátia, me Chamo Daniel, sou de Umarizal interior do Rio Grande do Norte, mas desde minha defesa da monografia estou morando em Natal, infelizmente passo pelo mesmo que você, muitos alegam que não temos experiência por termos concluído o curso a pouco tempo, defendi minha monografia dia 25 de fevereiro deste ano(2010), e assim como você estou desempregado. Como Léo falou estou tentando uma especialização em Educação Ambiental que é o que realmente pretendo, Léo fala que devemos está envolvidos em projetos mesmo que voluntário e é isso que faço, sou CJ (Coletivo Jovem de Meio Ambiente, sempre que tem algo na área, cursos, minui-cursos e etc estou participando.
    Uma coisa que já percebi, atualmente estou como colaborador do Museu de Mineralogia do IFRN, isso faz com que eu tenha uma ocupação em quanto busco algo para mim. Nos murais da instituição vejo sempre vagas para técnico em meio ambiente, técnicos em controle ambiental, técnico nisso e naquilo, mas vaga para tecnólogo não tem. As empresas preferem a mão de obra do técnicos por serem mais baratas que fazem quase o mesmo “serviço” do tecnólogo, tornando assim nossa profissão pouco valorizada. Infelizmente aqui no Rio Grande do Norte esta é a realidade!
    Abraços a todos!
    Daniel da Silva Sousa

    Moderador do Blog MUDA (Movimento Umarizalense em Defesa Ambiental)

    Tecnólogo em Gestão Ambiental (IFRN)

    CJ (Coletivo Jovem de Meio Ambiente – RN)

    Educador Ambiental

    ” O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor.” (Madre Tereza de Calcutá)

  22. no dia 3 de janeiro de 2012 wedey escreveu:

    será que vamos ficar a mercer do crea… Passei no vestibular para tecnologo em gestão ambiental, mas por dificuldade de emprego, estou começando a desanimar. Se tiverem noticias da regulamentação me avisem.
    Grato

  23. no dia 23 de janeiro de 2012 Marcelo Marques escreveu:

    Olá amigos, gostaria de saber de vocês, se tem como relacionar alguma coisa do Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental com a Defesa Agropecuária (Fiscalização), pois estou cursando Gestão Ambiental e gostaria de me especializar na área de Defesa Agropecuária. Obrigado, boa noite!

  24. no dia 24 de janeiro de 2012 JOEL ARAUJO SIRQUEIRA escreveu:

    Caro, Marcelo Marques, ao meu ver tem sim sou Gestor Ambiental e também Técnico em Agropecuária, e em minha grade curricular em Tecnólogo em Gestão Ambiental observei que muitas disciplinas eram as mesmas ou co-relatas com as do curso Agropecuária como por exemplo: Solos, defensivos agrícolas, química, Agroecologia, desenvolvimento sustentável, legislação ambiental (trata também de Agrárias), recuperação de área degradada, geoprocessamento e topografia,auditoria e certificação, geologia, sanidade ambiental(trata também de Agrárias), avaliação e licenciamento…Como pode observar gestão ambiental tem muita coisa relacionada com o meio rural, produção de alimentos e Defesa Sanitária Agropecuária também, além de muitas outras áreas.

  25. no dia 24 de janeiro de 2012 Marcelo Marques escreveu:

    Muito obrigado pela informação Joel Araujo! Boa Noite!

  26. no dia 1 de abril de 2012 P.M. Medina escreveu:

    Aguardo resposta quanto a existência de representação da Anagea em nosso estado (BA), temos algumas turmas de formandos em GA, aqui em Salvador, interessados em associar-se. Grato.

  27. no dia 28 de agosto de 2012 Paulo Jose de Freita escreveu:

    Aqui em Coxim Mato Grosso do Sul eu já me cadrastrei no CREA e ja esto trabalhando.

Deixe seu recado